Básico – Chile

Cordilheira AndesVocê pode até não saber, mas consome muita coisa que vem do Chile: frutas, legumes, salmão, amêndoas e, claro, vinhos. O Chile é um país incrível e sempre foi meio quieto, quase não aparece nos nossos noticiários. Talvez o terremoto e o resgate dos mineiros soterrados em 2010 tenham sido os últimos grandes acontecimentos reportados de lá. Mas, acredite, o Chile é uma sucessão de paisagens fantásticas, únicas no mundo por causa da Cordilheira dos Andes, da Cordilheira da Costa e da Corrente de Humboldt. Culturalmente, tem dois prêmios Nobel de literatura, para os poetas Pablo Neruda e Gabriela Mistral. Já no cenário político, a ditadura de Pinochet foi uma das mais conhecidas na América do Sul. Neste post faço um giro turístico com as informações básicas sobre o país e também por que você deve planejar sua viagem.

Tudo bem que eu sou bem capricorniano e que capricornianos são meio control freaks, mas acho importante planejar até as miudezas de uma viagem. No meu caso, fui com meus pais e tios, que… bem, não se preocupam muito com essas coisas e acham que dá pra decidir tudo na hora. Acho isso legal quando se tem um tempo flexível, mas por experiência própria, sei que as coisas não funcionam exatamente como a gente quer.

A viagem tinha mais dois tios e nasceu com outro destino: Natal. Mas o letreiro chileno piscou mais forte e o itinerário foi alterado, tirando os dois tios da viagem e me incluindo. Foi o primeiro Ano Novo em muitos anos que passei em família. Então ficamos em cinco pessoas, indo para Santiago e Puerto Varas, entre os dias 28 de dezembro e 04 de janeiro de 2014.

Devo me planejar? Sempre. Mesmo indo de pacote e tendo todos os dias planejados. A viagem começa quando você compra as passagens e começa a pesquisa. Busque referências recentes, não acredite em tudo, principalmente quando as opiniões são extremas. Confirme informações nos sites oficiais e pergunte diretamente se tiver dúvidas. Mas lembre-se que a viagem é sua. Você é quem sabe o que te interessa e agrada, só porque uma pessoa não gostou de tal lugar, não significa que você não vai gostar. Tente fazer coisas novas também, viagem é justamente isso.

Comece a se planejar seis meses antes. Há uma porção de sites e blogs e confira a opinião das pessoas no TripAdvisor. Procure sempre por informações recentes.

O que ver no Chile? O país é dividido em 12 regiões + Região Metropolitana, que é Santiago. O Chile tem uma diversidade paisagística absurda, desde o deserto mais árido do mundo até geleiras, só não tem floresta tropical. Ao norte fica o Deserto do Atacama. Na parte central fica a capital e a Rota do vinho. Um pouco mais ao sul fica a Região dos Lagos [também conhecida como Patagônia Verde], porta de entrada da Patagônia e Terra do Fogo. E a Ilha de Páscoa fica a 3.700 km da costa.

Como ir. LAN, Tam e Gol têm voos diretos partindo do Rio e de São Paulo. Para ver todas as companhias que vão até Santiago, clique aqui.

Dentro do Chile, LAN, Sky Airlines e PAL disputam o mercado aéreo dentro do país.

Tem gente que aproveita a viagem para ir também à Argentina, geralmente a fronteira é cruzada via Mendoza ou Bariloche [travessia dos lagos].

Quem quer ir de ônibus tem duas opções: Bus Chile (que sai do Rio) e Pluma (de São Paulo). Ambas fazem paradas em São Paulo, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre e em algumas outras cidades como Camboriú e Torres. Se a viagem for conforme o esperado, ela leva umas cinquenta e tantas horas, indo até a Argentina e cruzando os Andes por Mendoza.

Se você tem flexibilidade nas datas, há dias em que as passagens são mais baratas. Há quem diga também que ao se comprar as passagens pelo site chileno da Lan, elas ficam mais baratas, mas sem a opção de parcelamento. Tem gente que recomenda o site Atrapalo, uma espécie de Decolar, também sem parcelamento.

Não importa onde você compra as passagens, fique bastante atento aos horários e a duração dos voos. Se tiver conexão em Santiago, deixe umas duas horas entre os voos.

Quando ir. O ano todo. O verão é a alta temporada  em todo o Chile (dez-mar). Mesmo sem neve, as estações de esqui oferecem atividades como tirolesa, caminhadas e cavalgadas. A neve começa a cair em maio, mas a temporada de esqui começa a partir da segunda quinzena de junho e costuma ir até setembro [a época varia de acordo com a quantidade de neve]. Sendo um país de grande diversidade paisagística, a “melhor época” varia de lugar para lugar. Abaixo, veja como a variação climática é grande [clique para ampliar]. E para saber mais sobre o clima, clique aqui.

Clima no norte

clima iquique

Clima no centro

clima santiago

Clima no sul

clima puerto montt

Antes que você me pergunte: não neva em Santiago, mas há estações de esqui na região [2 ou 3 horas].

Em alguns feriados, nada abre, nem mesmo restaurantes: 1º de janeiro, sexta-feira santa, 1º de maio, 18 de setembro e Natal. O feriado de 18 de setembro é a data mais importante do calendário chileno, é o dia em que se comemora a independência, embora ela tenha ocorrido em 12 de fevereiro de 1818. O Dieciocho relembra a primeira tentativa de independência – 18 setembro de 1810 – e é seguida por outro feriado, o Dia das Forças Armadas. Se caem em dias “enforcáveis”, é como o Carnaval daqui, um bom feriadão com tudo fechado. Sendo assim, os chilenos também aproveitam estes dias para viajar. Logo, reservas são mais que necessárias.

Aos domingos, muitos restaurantes não abrem ou funcionam em apenas um turno. O comércio de rua também geralmente permanece fechado. Nos outros dias, tudo começa a funcionar mesmo a partir das 10-11 horas.

Que moeda levar. O peso chileno pode dar um susto pela quantidade de zeros, mas é uma moeda estável. O câmbio no Brasil pode ser desfavorável, sendo melhor trocar dinheiro lá. Há também caixas eletrônicos com as bandeiras Cirus e Plus que permitem o saque em peso diretamente da sua conta [é preciso desbloquear o cartão, confira também as taxas e lembre-se que o IOF aumentou]. Mas é melhor levar real ou dólar? Ambas as moedas têm câmbio proporcional, então não há uma grande diferença. Veja a cotação oficial aqui e faça uma simulação na Afex [há diferença entre as sucursais – pelo amor de Deus, não vá trocar tudo no aeroporto]. Se for para uma cidade mais afastada, leve um pouco de dólares, pois cidades pequenas podem não trocar reais.

Hotéis e agências de viagem têm preferência por pesos chilenos e quase nenhum estabelecimento aceita pagamento em dólar.

A conversão é complicada e só com uma calculadora você saberá o preço exato em real. Saiba quanto vale 1 real e quanto valem 1.000 pesos para, pelo menos, ter uma conversão aproximada. Por exemplo, 1 real estava sendo trocado por 216 pesos. 1.000 pesos valiam mais ou menos 4,57 reais, então multiplicávamos por 5 para ter um valor aproximado. Se uma coisa custava 5.000 pesos, em reais dava um pouco menos que 25 reais [cotação da primeira semana de jan/14].

Alguns hotéis não cobram IVA (o ICMS de lá) caso o pagamento seja feito em dólar, euro ou cartão emitido no exterior. O IVA no Chile é de 19%, então pode ser uma boa economia. Não é uma regra, então consulte seu hotel.

Documentos. Como faz parte do Mercosul, cidadãos brasileiros podem entrar portando apenas a carteira de identidade, mas a foto precisa ser recente [em outras palavras, você tem que se parecer com a pessoa da foto], ou o passaporte. O Chile não exige nenhum certificado de vacinação e nem o Brasil exige de quem vem do Chile [informe-se melhor caso o destino seja a Ilha de Páscoa]. Turistas albaneses, americanos, australianos, canadenses e mexicanos precisam pagar a taxa de reciprocidade [apenas em dinheiro] assim que chegam ao aeroporto. A taxa é referente aos custos que um chileno teria para tirar visto para um destes países, e o valor varia de US$ 23 até US$ 160.

O país também não exige seguro viagem, mas é bom ter – e isso é para qualquer viagem.

Ao contrário do Brasil, a alfândega é bastante rigorosa. Cachorros cheiram bagagens e pessoas em busca de drogas e toda mala passa pelo raio-x antes de sair da área de desembarque. Quem não declara e é pego levando algo proibido, paga uma multa pesada. Se você estiver levando algo, como frutas, mel, queijo etc, declare para não ter problema.

Agências de viagem. Não é difícil andar sozinho em Santiago, nem ir para cidades próximas como Viña del Mar e Valparaíso. Também dá para ir por conta própria para vinícolas próximas, mas há pessoas que preferem usar os serviços de uma agência. Quem decide contratar por lá, tem diversas opções, desde gigantes como a Turistour [uma espécie de CVC] e a Turistik, até agências menores em que o proprietário, motorista e guia são a mesma pessoa. Pontos turísticos e hotéis costumam ter representantes e panfletos. Faça uma busca na internet e veja os comentários sobre as empresas. A Turistour, por exemplo, tem diversos comentários negativos em todo o Chile.

Em cidades menores, a oferta também é grande e vale a pena contratar os serviços de uma agência. Não só pela comodidade, mas também porque as distâncias até os atrativos turísticos são grandes. Alugar um carro também pode ser uma opção, mas analise bem os prós e contras.

Outras informações. A voltagem no Chile é de 220v. Isso não é um grande problema porque a maioria dos carregadores de celular e bateria é bivolt, mas se for comprar algum eletrônico, verifique se ele é bivolt. A tomada é de três pinos redondos alinhados, mas a de dois pinos que era usado no Brasil serve perfeitamente.

É proibido consumir bebidas alcoólicas na rua, mesmo na porta do bar. Se um carabineiro vir, você pode levar uma advertência ou até uma multa. Mas é mais provável que o dono do estabelecimento te chame atenção, pois ele pode ter o alvará suspenso.

A água no Chile pode parecer “pesada” para nós. Isso porque ela contém muitos minerais. Quando for comprar água, veja no rótulo se ela tem sal/sódio. As que tem 0% são mais próximas da nossa. Tomei várias marcas, a que mais gostei foi a Benedictino e a que menos gostei foi a Cachantun. A água de torneira é potável, mas é aquela mesma história dos minerais.

Gorjetas. Não é nenhuma obrigação, mas é simpático, principalmente se a pessoa prestou um bom serviço ou se você pediu alguns favores. Quando e quanto, fica a seu critério. A Glorinha dá uma dica aqui. Nos restaurantes do Chile, os 10% vêm discriminados e você decide se paga ou não. Não é comum dar gorjeta ao taxista, mas se ele ajudou a carregar as malas e dirigiu direitinho, é legal dar. Uma particularidade do país são as pessoas que ensacam as compras no supermercado. Geralmente são adolescentes. Eles não ganham salário, dependem exclusivamente das gorjetas. Não precisa ser muito.

Santiago

Aeroporto e táxis. Evite aborrecimentos e pegue um transporte oficial, mesmo que alguém te oferte um preço camarada. O Táxi Oficial é uma opção para até 3 passageiros. A Transvip oferece táxi, van compartilhada e van exclusiva para até 7 pessoas. Para quem quer economizar, a Tur-bus tem ônibus com paradas em três estações do metrô e o serviço funciona das 6 da manhã até meia-noite. Os ônibus do Centropuerto também fazem itinerário parecido, de 5:55 até 23:30, mas têm duas direções: Maipú e Los Héroes. Pegue para Los Héroes, que faz as mesmas paradas do Tur-bus + duas outras estações. Todos os serviços dão desconto ao marcar ida-e-volta.

O caráter duvidoso de alguns taxistas chilenos é a principal queixa dos turistas, que podem cobrar [muito] a mais ou enrolar no troco. Mas nada de pânico, são apenas alguns taxistas e eles sabem escolher turistas desatentos. Para evitar isso, saiba o valor aproximado da corrida [pergunte ou simule aqui – não existe bandeira 2] e pergunte ao motorista antes de entrar. Procure pagar com trocados, mas caso seja uma nota alta, informe quanto está dando para que ele não troque e diga que você deu uma nota de menor valor. À noite, peça um táxi ao hotel ou restaurante. Provavelmente será um rádio-táxi e você pagará um pouco a mais por isso, mas ele não vai tentar te enganar. Outra opção é ter aplicativos como o SaferTaxi e o Easy Taxi para chamar um.

Segurança. Mesmo sendo um país considerado muito seguro e com policiais com fama de serem os menos corruptos do mundo, não descuide de seus pertences. Não exponha jóias e objetos de valor. Guarde tudo isso e os documentos originais no cofre do quarto. Ande apenas com uma cópia da identidade ou do passaporte. Mais uma vez, nada de paranoia, tenha apenas bom senso e os mesmos cuidados que você teria numa cidade grande. Jacaré que dorme na praia vira bolsa de madame.

Como se locomover em Santiago? A cidade é bastante plana e fácil de caminhar, e o melhor é que as principais atrações turísticas estão agrupadas na mesma região. O metrô é o principal meio de transporte dos turistas, pois cobre quase todas as regiões, além de ser rápido e eficiente. Os ônibus também podem ser uma mão na roda, mas para usá-los, é preciso ter o cartão Bip!, o mesmo usado no metrô. Para saber mais sobre as linhas, tarifas e horários do metrô, clique aqui. O preço da passagem varia conforme o horário e o dia de semana. A única coisa ruim é que o metrô fecha cedo e só abre às 8h aos domingos. Se você é cadeirante, vale dar uma lida neste blog. E, sim, você pode comprar apenas um cartão para todo mundo usar.

Em que lugar ficar? A maioria das pessoas acaba escolhendo a comuna da Providencia, e eu acho que é a melhor escolha. Esta comuna fica a meio-caminho de outras regiões e tem a conveniência de ter bons restaurantes e comércio nas redondezas, além de ser bastante segura. Quem gosta mesmo de beber e não se incomoda com barulho, o bairro Bellavista pode ser uma ótima opção, já o vizinho Lastarria é para quem quer mais sossego. Há bons restaurantes nesta área também, além de ser bem bonito. Tanto Bellavista quanto Lastarria ficam dentro da comuna de Santiago. Lastarria também é chamada de Bellas Artes, por causa do museu. Já Las Condes é uma comuna muito grande e mais vale ficar perto do metrô [El Golf e Tobalada]. Entre Providencia e Las Condes fica o bairro El Golf , também conhecido como Sanhattan [Santiago + Manhattan]. Trata-se da área mais moderninha, com prédios espelhados e hotéis de luxo das avenidas Vitacura e Isidora Godoyechea, Vitacura é a área mais aristocrática de Santiago e fica numa lonjura que só vai valer a pena se você quiser sossego e mínima vontade de conhecer as outras áreas, compras de luxo e tratamento de spa.

Resumindo: todo lugar tem suas qualidades, evite apenas a área do Centro Cívico, o lado oeste do Cerro Santa Lucía.santiago comunassantiago turistico cópia

Clique para ampliar. A cruz é onde está o Cerro Santa Lucía. A parte azul é onde fica o bairro Lastarria, em vermelho está Bellavista e em amarelo está Providência e a parte mais turística de Las Codes. O rio Mapocho é a principal referência da cidade, guie-se também pelas estações de metrô (símbolos vermelhos).

Puerto Varas

Aeroporto. O aeroporto de Puerto Montt, o Tepual, fica nas imediações da cidade. Há táxis, vans e ônibus. Os serviços você encontra aqui. Não há muitas informações, então contate diretamente a empresa ou o motorista. O aeroporto fica distante de Puerto Varas, então veja se vale a pena mesmo economizar no traslado. A maioria das agências oferece o serviço por um preço justo, cerca de 25 reais por pessoa [preço de jan. 2014 – um trecho].

Hospedagem. A cidade não é exatamente pequena, mas a parte turística é. Eu divido Puerto Varas em três partes: o centro, os restaurantes e o meio-termo. Apenas esteja ciente de que não dá para chegar na cidade sem reserva, pelo menos no verão. Embora não pareça, os hotéis enchem. Eu fiquei no meio-termo, na rua Tronador. Foi bom porque era uma área tranquila, mas a uns 10 minutos de caminhada do centro. No entanto, ficava perto da área de restaurantes. Para resumir: no centro estão as lojas e todos os serviços, como casas de câmbio, agências, supermercados e o cassino. Há também bons restaurantes. Na área que chamo de restaurantes ficam os estabelecimentos mais descoladinhos e mais frequentados pelos locais. Muitos dos restaurantes indicados pelo TripAdvisor ficam nesta área.

Há hotéis para todos os bolsos, de hostals, passando por hotéis-butique até cinco estrelas. Tudo vai depender da sua disposição. No mapa, os números que vão do cinco ao 12 formam o centro. O número 16 é onde começa a área de restaurantes.puerto varas mapa

Agências. Tinham me falado que a oferta de agências era enorme na cidade. Como chegamos num feriado, estava tudo fechado, inclusive o centro de informações turísticas. A Turistour é predominante lá, mas há outras agências menores que oferecem bons serviços e, às vezes, de forma particular. A que usei está no final do post, mas outra que vi bastante foi a LS Travel. Antes de contratar, faça perguntas, avalie o atendimento por e-mail e pesquise comentários ou críticas.

Apesar de ter transporte público que passa na porta do Parque Nacional Vicente Pérez Rosales, onde ficam os principais atrativos da região, vale contratar excursões de agências, pois as distâncias são grandes. Há diversas opções de passeio e para diferentes perfis, basta pesquisar um pouco. O preço é justo. Você também pode alugar carro, mas, no inverno, leve em conta o gelo e a neve na pista. Acidentes são comuns com motoristas não acostumados.

Serviços usados na viagem

Hotel em Santiago: Departamentos Amoblados Costa Nueva de Lyon.

Traslado aeroporto-hotel-aeroporto: Transvip.

Agência Andes Wind [Aconcágua]: Andes Wind – Cristian.

Guia particular Humberto Salvo [Valparaíso e Viña del Mar]: humberto.salvo@live.cl

Hotel em Puerto Varas: Casa Kalfu.

Agência em Puerto Varas: Patagonia Travel.

Blogs que me ajudaram no planejamento

O Viajante Comilão. Sem querer querendo, o blog do Daniel foi o primeiro a me tirar dúvidas. Peguei várias dicas de restaurante, mas não segui nenhuma. Hahaha.

Meus Roteiros de Viagem. Me ajudou a entender Valparaíso e Viña del Mar. O Diego sempre faz um apanhado completo e bem didático de tudo que se precisa saber antes de viajar.

Fui e Vou Voltar. Encontrei este blog na dura tarefa de encontrar informações sobre o Réveillon no Chile. O texto do Alessandro é divertidíssimo, até dá pena quando acaba. Ele e os amigos desbravaram Santiago, Valpo e Vinã sem pressa.

Futilish. Durante minhas pesquisas, o que mais vi foi blog de garota fazendo look do dia para ir almoçar ou para jantar romântico no Como Agua Para Chocolate. Não tenho saco pras essas coisas. “Vestido: acervo pessoal”. Mas invariavelmente caía no blog da Constanza, uma chilena com coração brasileiro, como ela diz. Realmente o blog é sobre moda e coisa e tal, mas todos os posts sobre Santiago me ajudaram com informações hypadas e atuais para a época.

Eating Chilean. Este é um blog escrito por um antropólogo americano que vive no Chile. É verdade que ele não o atualiza há um bom tempo, mas as informações nele não têm prazo de validade. Ele simplesmente dá uma aula sobre a gastronomia chilena. Onde vocês acham que eu aprendi sobre curanto, cochayuyo, locos e machas?

Viaje na Viagem. Este site é obrigatório para quem vai viajar e ele me ajudou a me localizar no mapa. Mapas, na verdade. Eu não posso ficar muito tempo nele porque começo a me irritar com o povo fazendo as mesmas perguntas, sendo que as respostas quase sempre estão no texto.

Batalhas Pelo Mundo. Bom, este é um outro caso, pois o Alessandro viajou exatamente no mesmo dia que eu, só que ele saiu mais cedo. Chegamos à conclusão de que não nos esbarramos no Cerro San Cristóbal por pouco. Mas o que ele fez antes da viagem foi abrir um post para coletar informações sobre o Ano Novo no Chile. E, acredite, é dificílimo encontrar essas informações. Até por isso criei este blog. Muita gente contribuiu e alguns até passaram a virada juntos.

Anúncios
Etiquetado , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: